Melasma sendo tratado com o Inkie Laser

Melasma: o que é, causas e tratamentos

Manchas na pele, principalmente em regiões visíveis como o rosto, são uma das principais queixas nos consultórios dermatológicos. Principalmente as manchas escurecidas, chamadas de melasma, que causam baixa da auto estima e grande incômodo em quem as possui.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp), estima-se que de 15% a 35% das mulheres brasileiras sejam acometidas pelo melasma.

Mesmo não tendo a cura para o problema, existem tratamentos que podem controlar o melasma e melhorar (e muito!) a qualidade de vida de quem convive com essa condição.

Na leitura a seguir vamos descrever tudo que você precisa saber sobre melasma: o que é, quais são as causas para aparecimento das manchas e tratamentos disponíveis hoje no mercado.

O que é melasma?

O melasma é um transtorno que provoca a formação de manchas na pele, em tons amarronzados ou castanhos, provocadas pelo aumento da melanina, proteína responsável pela coloração da pele e que a protege dos danos da radiação ultravioleta no DNA.

Essa hiperpigmentação da pele normalmente é concentrada em regiões do rosto, como bochechas, testa, buço, queixo e têmporas, e tem tamanhos e formatos irregulares e bem marcados. Mas também podem surgir manchas em outras regiões do corpo que são atingidas pela exposição à luz, como braços, colo e pescoço.

Mais frequente em mulheres que estejam em fase reprodutiva – entre os 20 e 50 anos – o melasma é uma condição crônica e recidivante. Ou seja, é um transtorno que não existe uma cura completa, que pode aparecer frequentemente, de forma recorrente, mesmo após um tratamento satisfatório.

Além das mulheres terem maior predisposição para aparecimento do problema, pessoas que possuem pele morena e negra, como afrodescendentes, asiáticos e latinos, por exemplo, são mais vulneráveis à terem a condição. Isso porque, por natureza, possuem melanócitos mais ativos, produzindo mais melanina.

De acordo com a distribuição da melanina nas manchas, o melasma pode ser categorizado em três tipos, sendo:

  • Epidérmico – a melanina é concentrada na camada mais superficial da pele, a epiderme;
  • Dérmico – quando a camada intermediária da pele é afetada, a derme;
  • Misto – as manchas atingem tanto a epiderme quanto à derme.

Ilustração mostrando as camadas da pele

O que causa Melasma?

As causas que levam ao aparecimento das lesões do melasma na pele ainda não são muito bem esclarecidas, tornando-se um enorme desafio para os médicos. Há estudos constantes sobre o assunto, mas é certo que existem alguns fatores que contribuem para desencadear a hiperpigmentação da pele, muitas vezes associadas a exposição à luz, como sol, telas de celulares, computadores e tablets.

As pessoas que sofrem com o melasma tem a sua produção de melanina alterada, onde os melanócitos se comportam de maneira diferente daqueles que não tem manchas. Quando expostos à luz solar, a radiação desencadeia a produção de um hormônio que é responsável por deixar a pele bronzeada, atingindo às áreas predispostas a ter melasma e ativando a coloração dessas regiões.

Luzes artificiais, visíveis ou invisíveis, como a de aparelhos de celular, tablets, computadores, lâmpadas fluorescentes, micro-ondas, raios-x, infravermelhos, também podem aumentar a produção de pigmentos relacionados ao aparecimentos do melasma.

Alterações hormonais também estão ligadas à hiperpigmentação da pele. Mulheres grávidas, que passaram por tratamentos de fertilização ou que fazem uso de pílulas anticoncepcionais, estão mais susceptíveis ao aparecimento das manchas. Os melanócitos tem sua atividade aumentada quando há uma maior quantidade do estrogênio no organismo.

Não é comprovado ainda que determinados genes tem uma relação direta com o melasma mas, como já citamos anteriormente, existem biotipos que tem maior predisposição à condição. Isso porque pessoas com peles morenas a negras, como asiáticas, africanas e afrodescendentes, produzem mais melanina, responsável pela pigmentação a pele.

Como tratar Melasma

Mesmo sendo uma condição que não tem cura, e que pode ter reincidência, existem tratamentos que são bastante eficazes, podendo desaparecer por completo as manchas escuras na pele. O objetivo dos tratamentos para melasma são promover o clareamento das manchas e diminuir a produção do pigmento que dá cor à pele, a melanina.

É fundamental que seja feita consulta com um médico dermatologista, para avaliação da região hiperpigmentada a fim de afirmar o correto diagnóstico de melasma, já que existem algumas doenças inflamatórias que também podem causar manchas na pele, como dermatite de contato, acne e eczema. É necessário, em certos casos, o envio de material coletado na área para biopsia.

O profissional irá avaliar as características das manchas com uma exame que utiliza a lâmpada de Wood, local onde elas apareceram e o tempo que surgiram, além de fazer um levantamento detalhado do histórico do paciente, que compreende informações como uso de contraceptivos orais, hábitos de exposição solar e reposição hormonal. Com essas informações definidas, ele irá orientar o tratamento que será mais eficaz para o caso.

Os mais comuns tratamentos para o melasma são:

  1. Cremes clareadores

Os cremes são usados de forma tópica, ou seja, são aplicados diretamente sobre as manchas conforme indicação do fabricante e do dermatologista. Existem diversas composições de cremes clareadores para melasma, como hidroquinona, retinoides, corticoide, ácido azeláico, ácido kójico, glicólico e salicílico.

Apesar de terem ação a longo prazo – podendo ser visto após 2 ou 4 semanas, como em 6 meses, dependendo do produto – os resultados são bastante duradouros. O tempo de tratamento dependerá da composição do creme, profundidade da mancha na pele e reação do organismo do paciente.

  1. Medicamentos orais

Também chamados de nutricosméticos, alguns tipos de suplementos podem ser usados para tratamento do mesmo, já que eles fazem a reposição de vitaminas e minerais carentes na alimentação, que são fundamentais para manter a saúde da pele. Normalmente, são associados a outros tipos de tratamentos e técnicas.

O uso de alguns suplementos podem ser úteis durante o tratamento do melasma, por suprir algumas carências de vitaminas e minerais importantes para a saúde da pele, que podem estar em falta na alimentação.

Vitamina C, antioxidantes, luteína, flavonoides, colágeno, ácido tranexâmico e selênio, são alguns exemplos de componentes dos suplementos que são favoráveis ao tratamento do melasma.

  1. Procedimentos estéticos

Os tratamentos estéticos são bastante indicados pelos dermatologistas e escolhidos pelos pacientes nos casos de melasma, por promoverem uma descamação superficial da pele e conferirem resultados rápidos. São feitos por profissionais qualificados e podem ser necessárias várias sessões para se chegar ao resultado final.

  • Microagulhamento: microagulhas perfuram a pele do paciente, estimulando a circulação sanguínea na região e a produção de colágeno, melhorando o aspecto da pele e diminuição das manchas;
  • Peeling químico: remove a camada superficial da pele através da aplicação de ácidos em concentrações mais fortes que nos cremes clareadores;
  • Microdermoabrasão: também promove a remoção da camada mais superficial da pele, mas através de uma esfoliação profissional, feita com aparelhos específicos.
  1. Laser

O laser é uma excelente opção para o tratamento do melasma, já que os equipamentos modernos existentes hoje no mercado, como o Inkie da Ligth Laser, possuem tecnologias modernas para lesões pigmentadas. São indicados para manchas mais profundas ou para aquelas cujos resultados de outras técnicas não foram satisfatórios.

O mecanismo de ação na pele com melasma é, basicamente, o mesmo feito em remoção de micropigmentação e tatuagem: a fototermólise seletiva.  Os feixes de luz visíveis liberam energia, convertida em calor, quebrando as partículas de pigmento as região aplicada.

As micropartículas, por sua vez, são absorvidas pelos macrófagos e liberadas no sistema linfático do pacientes. Com isso, gradualmente, haverá um clareamento da área tratada, até sua completa eliminação.

A quantidade de sessões a laser vai depender de alguns fatores, como características da pele, quantidade de pigmentos da mancha, em qual camada ela está depositada. A segurança do tratamento vai depender do equipamento utilizado, da confiabilidade da clínica escolhida e da capacitação do profissional responsável pela aplicação.

Não é possível dizer de forma ampla qual o melhor tratamento para melasma, já que em cada paciente será indicado um tipo de tratamento. Mas podemos considerar que o laser é uma das técnicas que são bem indicadas para diversos casos, por sua efetividade e resultados satisfatórios. Muitas vezes, associados a outros métodos, como medicamento orais e cremes e ativos de uso tópico.

O uso do protetor solar no tratamento do melasma

Em todos os quatro tipos de tratamentos listados acima, é de fundamental importância que a pele seja protegida contra os raios ultravioletas. O uso do protetor solar de amplo espectro, com fator mínimo de 15 FPS, deve ser feito todos os dias, em ambientes nublados ou ensolarados, abertos ou fechados.

Os filtros solares podem ser encontrados em dois tipos: químicos e físicos. Os primeiros absorvem os raios UV, enquanto os segundos refletem esses raios. Sendo possível, usar os dois tipos de forma combinada, irá conferir maior proteção contra a ação nociva dos raios ultravioletas.

Os cremes dos protetores podem ser encontrados em tom incolor ou com cores. Nos casos de melasma, sugere-se o uso dos protetores com cor, pois além de uniformizarem a aparência e coloração da pele, o pigmento presente neles funcionará como uma barreira a mais na proteção contra os danos da luz visível.

Melasma tem tratamento

Manchas escurecidas, principalmente no rosto e em mulheres, trazem um impacto negativo na autoestima e qualidade de vida dessas pessoas, atrapalhando relacionamentos interpessoais e desempenho profissional.

Mesmo que seja uma condição que pode haver reincidência das manchas, com a tecnologia existente hoje é possível fazer um bom tratamento, que trará resultados bastante satisfatórios para as pessoas afetadas. Melhorando assim, a aparência da pele e autoconfiança daqueles que buscam pelo tratamento.

O Inkie laser é uma excelente alternativa para esse tipo de tratamento. Saiba onde ele está disponível aí na sua região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Atendimento Online